23 de jul de 2011

Arquitetura: Lofts

Loft se origina do inglês médio lofte (ar, céu, região elevada), do inglês antigo loft de origem na língua germânica setentrional, do nórdico antigo lopt, (recinto superior, ático, região do céu, ar) do proto-germânico luftluz. Semelhante ao alto alemão antigo luft (alemão atual luft), do inglês antigo lyft (ar).
O conceito original dos Lofts designava um tipo de habitação bem casual e com características bem definidas, como pé-direito alto, a ausência de divisões internas entre os diferentes ambientes, a despreocupação com acabamentos e adornos, elementos estruturais como pilares e vigas e também tubulações de hidráulica e elétrica aparentes e as janelas bem amplas.
Esse conceito foi se popularizando e, com o tempo, se adaptou para o uso principalmente de pessoas jovens e despojadas em grandes cidades no mundo.
Loft em Buenos Aires - Fonte: Blog Arquitetura e Urbansmo
Em Nova York, regiões industriais decadentes, como o Soho, tornaram-se descoladas a partir da reciclagem de suas antigas fábricas e frigoríficos. Essas construções amplas, com pé-direito alto e vãos livres, atraíram, nos anos 60, artistas plásticos, que as utilizavam como morada e lugar de trabalho. Ateliê, quarto, sala, banheiro e cozinha se confundiam em um mesmo salão. Os lofts eram uma opção barata de moradia. Nos anos 70, com a revitalização de seu entorno pela prefeitura de Nova York, viraram moda e encareceram. Em Manhattan, os menores lofts de West Village (que vão de 55 a 78 metros quadrados) custam no mínimo 1 milhão de dólares.
Mesmo despojados, lofts bacanas exigem organização permanente, já que os ambientes ficam sempre a mostra. Em lofts, praticidade é lei. Por isso, materiais e acabamentos uniformes e integrados facilitam a decoração e a flexibilidade do espaço.
Iluminação direcionada criando pontos de sombra e luz ampliam e escondem partes facilitando assim a distribuição correta das peças nos espaços.
Lofty Living - Fonte: Vídeo Openhouse
No Brasil, a maioria dos projetos lançados se distanciam muito do conceito original. Surgiram muitas adaptações, chamadas muitas vezes de lofts-fake ou apartamentos loft-inspired. Por exemplo, muitos dúplex encontrados no mercado, embora não sejam nada amplos, são vendidos como lofts só por causa do pé-direito duplo. O que se faz por aqui são ambientes “loftados”, pois não há galpões de fábrica em áreas em que as pessoas gostariam de morar. Mesmo assim o metro quadrado de um loft é cerca de 20% mais caro do que o de um apartamento convencional de mesma localização.
Loft - Fonte : Apartment Therapy
A tradução do conceito pelo mercado local resultou em construções de pé-direito duplo e grandes janelas em que a área social se confunde com a de serviço. A ala íntima (quarto e banheiro) fica resguardada em um mezanino. Solteiros e jovens casais sem filhos são o principal público desse tipo de empreendimento. Manter a privacidade num ambiente assim, no entanto, pode ser difícil quando ele é dividido com alguém. O loft é mais que um espaço: é um estilo de vida!
Legalidad dos Lofts - Fonte: Vinil Chic
Lofts Nova Iorquinos - Fonte: Casa Cláudia