4 de set de 2011

Arq Biography - Tadao Ando

Nascido em Osaka em 1941, Tadao Ando constitui um caso invulgar, na medida em que é um autodidata no domínio da Arquitetura, em grande parte graças às suas viagens aos Estados Unidos, Europa e África (1962-1969). Fundou a empresa Tadao Ando Architect & Associates em Osaka, em 1969. Quando Ihe perguntam como nasceu o seu interesse pela arquitetura, responde: "Acontece que se faziam construções no sítio onde eu morava, quando eu tinha quinze anos, e eu travei conhecimento com alguns carpinteiros. Mais ou menos na mesma época, encontrei num alfarrabista um livro sobre a obra completa de Le Corbusier Copiei alguns dos seus desenhos, e diria que foi assim que comecei a interessar-me por ela arquitetura."
Vencedor do Premio Carisberg em 1992, do Premio Pritzker em 1995, do Premium Imperiale em 1996 e da Medalha de Ouro do Royal Institute of  British Architects em 1997, Tadao Ando é um dos arquitetos mais respeitados do mundo. Alguns dos seus admiradores ou, neste caso, dos seus detratores, deram-se ao trabalho de visitar os seus edifícios. Nem a melhor fotografia nem o desenho mais minucioso conseguem reproduzir os efeitos da mudança da luz à medida que o sol se esconde atrás do Templo de Hompuku-ji , na ilha de Awaji , sobranceiro à Baía de Osaka. Todavia, o essencial da sua obra só pode captar-se através desses instantes fugidios, quando a presença da natureza se impõe e depois desaparece atrás das paredes de betão.
Seu trabalho é conhecido para o uso criativo da luz natural e para as arquiteturas que seguem as formas naturais da paisagem (ao invés de perturbar a paisagem, tornando-a em conformidade com o espaço construído de um edifício). Os edifícios do arquiteto são frequentemente caracterizadas por serem complexos caminhos tridimensionais circulação. Estes caminhos se entrelaçam entre espaços interiores e exteriores formado dentro de larga escala formas geométricas e nos espaços entre elas.

Alguns dos seus principais trabalhos:
  •  Tomishima House - 1973
  •  Tezukayama Tower Plaza - 1976
  •  Church of the Light - 1989
  •  The Pulitzer Foundation for the Arts - 2001
  •  Modern Art Museum of Fort Worth - 2002
Dentre uma série de mais de 50 projetos  falaremos deste que sem dúvida tem uma enorme importância para a Arquitetura contemporânea.
CHURCH OF THE LIGHT - IGREJA DA LUZ DE 1989, OSAKA-JAPÃO.


Nos arredores de Osaka, no Japão , na pequena cidade de Ibaraki , a Igreja da Luz é uma das obras emblemáticas da arquitetura de Tadao Ando. Nele, a arquitetura se relaciona com seu ambiente natural. A luz entra no quarto escuro de uma maneira controlada, tornando-se o elemento principal. Foi construído em 1989, substituindo uma antiga igreja católica. O projeto envolveu a renovação de todo o site, a construção da igreja foi apenas o primeiro palco. As demais etapas foram concluídas em 1999, seguindo o desenho de Ando.
Segundo o próprio Arquiteto, ele diz que “Em todas as minhas obras, a luz é um fator de controle importante. Principalmente eu criar espaços fechados por Meios de grossas paredes de concreto. A razão principal é criar um lugar para o indivíduo, uma zona para si dentro da sociedade. Quando os fatores externos da cidade um ambiente requerem a parede a ser Sem aberturas, o interior deve ser especialmente plena e satisfatória."
Resultante da confluência de diferentes vertentes artísticas, o minimalismo que vemos nessa obra pode ser descrito como uma tendência que se expandiu pela arte estabelecendo múltiplos níveis de relação entre seus diversos desdobramentos. No entanto, abordar esta concepção enquanto mera condição ou categoria estilística equivale a recorrer a um reducionismo superficial e improcedente. Conceitualmente, pode-se dizer que a exaltação do minimal se configura como princípio operacional ou aproximação pela qual se busca alcançar a máxima tensão formal, o máximo impacto intelectual ou sensorial utilizando um mínimo de meios. O elementarismo compositivo de uma obra de inspiração minimalista artisticamente relevante não se restringe apenas a um marcante esforço de síntese, envolve também o estabelecimento de abstrações múltiplas que se tornam assimiláveis a partir de mecanismos mais intelectuais do que sensoriais.


A Igreja da Luz, é uma obra que se move na dualidade. É o jogo entre cheios / vazios, luz / movimento, escuro / serenidade, que dá sentido à proposta. O espaço interior se relaciona com seu ambiente a partir do contraste. A luz entra no slots perfeitamente recitar empresas de que não só funciona como “janelas”, mas também atuar em uma composição, produzindo um cruzamento que dá um significado simbólico para o espaço. A cruz iluminada se transforma em um enfeite. A natureza é sutilmente apenas enquadrado ser visto fora das ranhuras verde, mantendo a serenidade do espaço interior.

A Igreja da Luz, tal como as demais Igrejas e obras de Tadao Ando, é marcada por uma profunda simplicidade formal e monumentalidade espacial, que lhe impregna uma forte sensação de espiritualidade e de contacto com a Natureza e com os elementos, sem no entanto estar directamente ligada a qualquer deidade ou religião em particular. A luz como elemento de aproximação espiritual, é aqui trabalhada de forma magistral, e suas paredes de betão, que com cerca de 7 metros de altura, conferem uma escala monumental e imponente a todo o conjunto.
A presença da luz como único elemento insiste na abstração da própria arquitetura. As composições que as sombras formam no solo e na presença nômada de uma cruz formada pela sombra tornam o esse espaço abstrato em algo mais vivo. Esse mesmo recurso é utilizado por Tadao Ando em seu projeto para uma Igreja em Roma, onde o arquiteto usa uma fresta no teto, também em forma de cruz, para causar o mesmo efeito que na Igreja de Osaka.
A cruz do exterior, suspensa sobre uma das fachadas é a única peça de ornamentação da igreja, esse fato mostra como o arquiteto estava preocupado com o caráter limpo do prédio, deixando para elementos naturais e fora da arquitetura(a luz, por exemplo) para realçar o seu projeto.
O caráter áustero do recinto e o baixo pressuposto do projeto determinaram a decisão do arquiteto sobre os materiais a serem empregados: as peças de concreto que Tadao Ando utiliza com freqência. Ando também emprega habitualmente materiais naturais como a madeira, a pedra e o próprio concreto nas zonas do edifício sujeitas ao contato direto com as mãos e pés dos usuários. O arquiteto considera que através dos sentidos é que a arquitetura é conhecida e entendida.

Fontes:
Arquitetura! Disponível em: http://teturaarqui.wordpress.com/2011/02/02/igreja-da-luz-tadao-ando/ Acessado em: 01/09/2011.
Acessado em: 02/09/2011.

Fotos coletadas pelo Google imagens.