24 de out de 2013

As muitas lições de Bogotá... Parte Final

              Retomando nosso assunto abordado no Post Anterior, falemos sobre as boas idéias feitas nesta capital que tem chamado a atenção pelo modelo de Urbanismo adotado como implementação das melhorias necessárias para um bom desenvolvimento cidadão.
Todos sabem que é preciso planejar pensando à longo prazo com Bogotá não é diferente, segundo o Ex prefeito de Bogotá e precursor das melhorias que chamam atenção do mundo inteiro Enrique Peñalosa, "Uma cidade bem planejada pode ser bem mais feliz que uma cidade com mais ingresso de dinheiro" .
             E dez anos depois podemos perceber que as administrações posteriores puderam dar continuidade as ações iniciadas no triênio 1998-2001. Reorganização dos Espaços Urbanos e das Edificações elegendo cada ponto da cidade um uso diferente e adequado as necessidades daquela localidade, claro que observando suas peculiaridades.

               Como foi citado também anteriormente Bogotá hoje conta com uma malha cicloviária com mais de 300 km e a construção de cerca de mil parques, um distrito de bibliotecas e 23 quilômetros de vias para pedestres. Olhaí o pedestre e o ciclista sendo PRIORIDADE numa cidade, cidade esta que conta com 7,3 milhões de habitantes que vive desde os anos 50 com um dos problemas mais sérios de sua fundação que é a violência pelo tráfico e das narcoguerrilhas.
         Enrique Peñalosa foi responsável pela "guerra aos veículos". Caçou espaços de estacionamentos com o argumento de que não é obrigação municipal guardar o carro dos outros, por isso o grande número de ciclovias e o maciço investimento em transporte público. Tentou desapropriações e remoções de localidades claro que com certo desagravo das pessoas de todas as classes sem distinção.
            O resultado de todo esse processo é que nesse período Bogotá estava civilizada e renovada, mas, como toda metrópole a descontinuidade das gestões governamentais e de outros projetos fizeram alguns pontos estagnar e aliado ao chamado inchaço pelo crescimento populacional fizeram com que algumas dessas melhorias entrassem em crise, a boa notícia é que isso pode ser reversível a tempo.

              Contudo o planejamento urbano trás enormes benefícios para as cidades e sua população, aliando bons estudos e novas tecnologias é possível soluções interessantes para as cidades. Vendo exemplos como o de Bogotá mostram que sim é possível fazer transformações e as barreiras são transponíveis e os desafios expugnáveis. 

Que tal aliarmos a experiência e fazer a nossa transformação?