7 de ago de 2011

Arquitetura Rústica

Estabelecer um contato mais próximo com a natureza faz parte do estilo de vida atual, que redescobriu a força da terra, os poderes das pedras e as importantíssimas propriedades das plantas. Dentro desta nova e saudável concepção, a arquitetura oferece possibilidades para resgatar formas mais simples e naturais de se viver. Se a idéia é se aproximar o máximo da natureza, a estrutura do telhado deve ser de madeira, de preferência aparente. A presença do forro é opcional e deve atender às expectativas estéticas para os ambientes internos, já que o visual do exterior está garantido.


A preocupação com o conforto termo-acústico dos ambientes é especialmente notável nos edifícios. Ao clima litorâneo correspondem dias e noites quentes e alto teor de umidade. Portanto, é interessante que os materiais empregados tenham baixa inércia, isto é, que não armazenem calor, pois a energia se desprenderia à noite, em função da mudança de gradiente térmico, tornando o ambiente muito quente.
Os telhados com estrutura de madeira convencional – caibros com bitolas comerciais e telhas de barro tipo capa e canal, não possuem forro e, em alguns casos, ao invés da tesoura de madeira o vão é vencido por caibros apoiados diretamente nas alvenarias, e os beirais possuem estrutura adicional de troncos de carnaúba. Observa-se, também, o uso de folhas de carnaúba trançadas. A fibra vegetal possui baixa inércia, é leve – o que implica em economia de madeiramento, facilidade de execução – a técnica artesanal é bem conhecida na região, excelente estanqueidade e facilidade de manutenção. No entanto, seu emprego exige cautela por tratar-se de material combustível.
Outra solução relevante quanto ao conforto das edificações é o emprego de muxarabis de madeira comercial que propiciam ventilação cruzada na parte mais alta do pé-direito. Observamos, também, o emprego de painéis móveis de cipó trançado de forma que os ambientes sejam sombreados ou protegidos em caso de chuva, além de garantir a ventilação permanente. O fato de serem painéis artesanais modulados possibilita a alternância entre aberturas e fechamentos, como forma de controle da brisa marítima.